Contador de Acesso:

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Alimentação de crianças

Como falei em outro post passo muita dificuldade com meu filho na hora da comida porque ele não quer comer. Então faço quase todo dia refeições montadas como bichinhos, bonecos e etc para que ele coma pelo menos um pouco de comida.

Fotos: Danielle Cardão
Essas fotos acima foram algumas das tentativas de fazê-lo comer e que vem dando certo. Meu problema maior são com as verduras porque se ele vê algo diferente ele não come como na primeira foto eu fiz a boca de chuchu e ele não comeu o arroz, o cabelo do coelhinho nem pensar.

Se alguém tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe seu comentário ou escreva para descobertascomdaniel@gmail.com.

Escrito por: Danielle Cardão.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Madureira

Madureira é um Bairro do Município do Rio de Janeiro muito conhecido, após o incêndio do mercadão de madureira, o comércio de lá não andou bem das pernas. Agora de uns meses pra cá está voltando ao comércio que era há anos atrás e aos poucos está se reerguendo denovo. É um ótimo local para fazer compras de roupas por ter competição você consegue encontrar um ótimo preço. Tem o Lojão das épocas que fica assim que o ônibus desce o viaduto e vira a direita, no lado direito fica essa loja, onde você encontra artigos pra festas, fantasias, material escolar, brinquedos e muito mais. Tem uma loja de bebê acho que se chama Paraiso dos Baixinhos que tem uma variedade de roupas para bebê. No shopping dos peixinhos tem várias lojas de roupa de bebê, criança e adulto de qualidade, tem um shopping de informática com ótimos preços, no meio do shopping tem um laguinho com peixes e uns passarinhos acho que o lugar preferido do Daniel. Em madureira você encontra muitas opções basta você ir com uma roupa confortável e tênis para poder aproveitar e procurar ofertas boas. Na Estrada do Portela você tem o Polo 1 com várias lojinhas como Cacau Show, O Boticário, Drogarias Pacheco e muita loja de roupa e calçado para criança. Em Madureira tem também o Madureira Shopping com fraldário, banheiro família e muitas opções de lazer como cinema, parquinho e muitas lojas. Madureira ficou com fama ruim por conta dos assaltos que eram frequentes, mas hoje em dia tem violência até na porta de casa não é verdade?



Dicas:
- Não vá dia de sábado e domingo porque não tem movimento muito movimento nas ruas de madureira se for vá só ao Madureira Shopping;
- Vá com uma roupa confortável e não carregue muitos pertences de valor;
- Prefira ir sem criança, por conta das lojas de brinquedos e porque é muito cansativo;
- Não vá em dia de chuva porque não tem muito lugar para se esconder da chuva;
- Para sua segurança, ande sempre pelas ruas principais como: Estrada do Portela, Ministro Edgar Romero.
- Li que houve um incêndio no Madureira Shopping então vou averiguar e depois conto aqui.


Se você tiver alguma dúvida ou sugestão deixe seu comentário ou escreva para descobertascomdaniel@gmail.com.

Escrito por Danielle Cardão.

sábado, 27 de agosto de 2011

Adoro um colinho

Fonte da foto: Blog Nananene


Quem não adora um carinho, um colinho, um abraço, um beijinho ainda mais de quem agente ama. Pois é, Daniel está com 2 anos e 9 meses e adora um colo, pra descer a escada de casa "mamãe có! mamãe có!", pra ir passear a mesma coisa. Vendo que isso não está dando certo já que Daniel tem quase 15 Kg e hoje precisávamos ir ao mercado resolvi usar uma brincadeira que já fiz com ele outras vezes e que quando a criança está bem e não tá sentindo nada resolve no ato o problema do colo. Nas calçadas aqui perto de casa e acho que em quase todo o brasil tem imperfeições como buraquinhos, degraus, linhas e etc, então quando ele passa por uma dessas imperfeições ele pula, então ele vê um buraquinho e ele pula, vê um degrau ele pula e assim por diante. Enquanto você economiza as suas costas como diria meu marido, a criança se diverte, gasta um pouco de energia e caminha um bom tempo sem precisar de colo. Acho que ele pede muito colo porque saio muito com ele, dentro do carrinho de bebê e naqueles que parece um carro de verdade, principalmente pra longe de casa por conta dos carros e das sacolas de compras.

Se você gostou da técnica ou se você conhece outra técnica deixe seu recadinho ou mande um e-mail para descobertascomdaniel@gmail.com. Obrigada!

Escrito por: Danielle Cardão

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Backyardigans na Lona Cultural de Vista Alegre

Olá, descobri que vai ter uma apresentação dos Backyardigans a preço popular na Lona João Bosco que fica no Bairro de Vista Alegre/RJ foi uma pessoa que me indicou os shows infantis da Lona, eu ainda não fui a nenhum, mas pretendo ir nesse com minha família, afinal o Pablo sempre foi o personagem preferido de Daniel que quando tinha apenas três meses ficava paradinho olhando para o desenho e com o passar dos meses descobrimos quem era seu preferido. Até hoje ele adora principalmente os espisódios onde o Pablo é o personagem principal. Vamos ver como ele se comporta diante deles dançando e cantando. Se eu for contarei a minha experiência aqui concerteza, aguardem.


BACKYARDIGANS
11/09  - Domingo
BACKYARDIGANSNovas histórias - Espetáculo Inédito
Dia: 11/09 - Domingo
Classificação:
LIVRE
Horário:
17h
Ingressos: R$ 12,00 inteira
R$ 10,00 antecipado
R$ 6,00 meia



Pra quem gosta dos Mecanimais terá uma apresentação de teatro infantil neste domingo dia 04/09, vale dar uma conferida.


MECANIMAIS
04/09  - Domingo
MECANIMAIS
TEATRO INFANTIL
Dia: 04/09 - Domingo
Classificação:
LIVRE
Horário:
17h
Ingressos: R$ 12,00 inteira
R$ 10,00 antecipado
R$ 6,00 meia

Para maiores informações:

Centro Cultural João Bosco
Avenida São Félix, 601 - Vista Alegre
Tel: 2482-4316

Escrito por: Danielle Cardão.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Dia do Miojo

Fonte: Blog as 1001 maneiras de fazer miojo

Hoje, dia 25 de agosto é o dia do Miojo, pois é eu nem sabia que tinha um dia especial. Miojo pra quem não sabe é aquele macarrãozinho intantâneo que fica pronto em três minutinhos após o fervimento da água. Muito prático para aqueles dias de preguiça, ou após um dia tão atarefado e as crianças adoram. Meu filho adora o miojo e cup noodles principalmente o caldinho que fica após colocar água fervente.

Por conta da dieta da minha Endocrinologista não poderei comemorar esse dia comendo aquele miojo, mas descobri através de uma matéria muito interessante que esse prato tem um teor nutritivo baixíssimo e percebi lá também falava do teor altíssimo de sódio e eu não acreditei, por isso peguei uma embalagem de miojo que tenho em casa e fui ver pra crer e é verdade na embalagem diz porção de 85g (80g de macarrão + 5g de tempero) tem 1991mg, 83% de sódio, valores diários com base em uma dieta de 2000 Kcal ou 8400 Kj e fiquei bem triste por que não posso nem mais pensar em comer essa delícia por conta da quantidade de sódio fora as gorduras. No cup noodles parece um pouco melhor pelo menos na marca que tenho em casa e que Daniel adora, sendo 1528 mg, 64% de sódio, valores diários de referencia para proteínas e vitaminas, baseados no IDR(Ingestão Diária Recomendada para crianças de 7 a 10 anos) e até o nível de gordura é um pouco menor não sei se é mais saudável ou não só um especialista pode dizer.
Acho que um vez na vida não tem problema e se for com verduras e legumes já melhora a quantidade de vitaminas que seu corpo precisa. Uma boa dica é fazer seu próprio tempero que além de mais gostoso é muito mais saudável.

Uma dica que vi uma vez na internet que serve pra qualquer tipo de alimento que precise utilizar água e primeiro cozinhar os legumes de sua preferência, após o cozimento não jogue a água fora, pois lá contém vitaminas que você pode aproveitar para cozinhar seu macarrão comum ou intantâneo naquela água que sobrou das verduras e após o cozimento do macarrão utilizar um molhinho de tomate ou outro de sua preferência, juntar tudo e até pode colocar carne, frango e etc só pra complementar o prato.

OBS.: Essa água que sobra das verduras pode também ser utilizada para cozinhar carnes em geral, arroz, linguiça, salsicha e muito mais além de você economizar água vai estar também deixando de perder aqueles nutrientes dos legumes que se perde no cozimento além de deixar sua carne, macarrão e etc com um gosto surpreendente vale a pena tentar.

Esse cup noodles eu descobri por um dia chegar em casa e não ter comida pronta, eu fui até um mercado ver o que eu pudia fazer e vi esse copinho então levei para casa e experimentei, na época eu não estava grávida e nem hipertensa. Quando precisamos viajar no ano passado o hotel não oferecia cozinha baby, nem jantar então, pensamos que levando esses copinhos meu filho comeria algo nutritivo, pelo menos o que eu pensava na época e não pensaria tanto em mamar que na época ele ainda mamava no peito e não aceitava a mamadeira. Hoje graças a Deus ele já não mama mais no peito em compensação se deixar são muitas mamadeiras por dia.

Essa foto achei bem interessante para quem tem uma saúde e uma genética boa que é pizza de miojo, entre no blog que está na legenda e veja lá o modo de fazer.
Fonte: Blog Lugar cheio de coisas

 
Se você tiver alguma dica de outro modo de fazer miojo para seu filho ou quizer expressar sua opnião seja simpática(o) e deixe seu recado ou me mande um e-mail para descobertascomdaniel@gmail.com. Obrigada.


Escrito por Danielle Cardão.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A imaginação de Daniel

Fonte: Americanas.com
Daniel está com 2 anos e 9 meses e me surpreendo a cada dia com ele, pois minha sogra tinha em sua casa uma bandeira do vasco em um pedestal de madeira. Quando ele pediu a avó ela não se importou de dar a ele. Ele ficou todo feliz e agora na hora do banho ele diz ser o barco do pirata e fica sentado por muito tempo balançando o "barco"e fazendo som de pirata "argh" é bem engraçado como eles usam sua imaginação na hora de brincar. Só que a do Daniel é branca com o símbolo do vasco, sabe com o navio pirata na foto. Ele as vezes pega o papelão do rolo de papel higiênico ou papel toalha e fica "argh" e eu ja sei ele tá pensando que o papelão é a luneta do pirata.
Outra coisa que ele gosta são as xícaras de porcelana com pires, eu coloco um pouco de água e ele faz aquela lambança e fica bebendo a água da xícara.
Ontem, ele achou o tapaolho do pirata então ele se divertiu a beça colocando no olho e correndo pela casa fingindo ser um pirata.
O mais legal é quando ele bota o "pepéu" na cabeça e pega seu cavalinho e finge ser um cowbói igual o woody do Toy Story e tem até um "yeah" como a jesse fala com o Bala no alvo no Toy Story 2.

Escreva pra mim ou deixe um comentário contando um pouco de arte do seu filho.

Bjsssssssssssss

Escrito por Danielle Cardão

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Histórias Infantis

A leitura é muito importante na vida da criança, que ela aprende através das figuras e através da audição ela aprende a falar mais rápido e corretamente. Mesmo sendo apenas uma criança pequena que não sabe ler aprende através da sua entonação na hora de ler se você está falando sério ou não.

Pensando nisso, eu achei um site bem legal com histórias infantis para ler com música de fundo e escrita em versinhos da autora Marlene B. Cerviglieri. Os meus preferidos são O casamento da vassoura e O gato sorrateiro, para visualizar esses e mais contos clique aqui.

Já no site Contando história tem várias historinhas engraçadas e com muitas figuras para os pequenos. Eu gostei do O Gatinho Trapalhão e a Princesa e o Gênio, tem muito mais no site clique aqui para saber mais.


Hoje, a internet veio para facilitar o acesso a várias oportunidades como essa de poder ler e mostrar aos nossos filhos um pouco de magia e encantamento se você souber como encontrar.

Escrito por Danielle Cardão.

Restaurante proíbe entrada de crianças menores de 6 anos

Proibição causa polêmica e levanta discussão: como controlar os filhos em lugares públicos?

No início da semana passada, um restaurante norte-americano ganhou as manchetes dos jornais ao proibir a entrada de crianças menores de seis anos. O proprietário do restaurante explicou que o volume dos pequenos não pode ser contido e, muitas vezes, acaba perturbando outros clientes. O ato, perfeitamente legal nos Estados Unidos, levantou a discussão: até que ponto as crianças podem ser controladas em público?

Mike Vuick, proprietário do restaurante, diz não ser um "inimigo das crianças". Casado há 42 anos, embora sem filhos, ele foi professor por nove e está acostumado a receber equipes esportivas colegiais que treinam no clube onde funciona o restaurante. “Pensei a respeito da proibição por dois anos”, conta. Mike afirma ter tomado a decisão definitiva ao observar quatro fatores: os pais traziam bebês cada vez mais novos ao restaurante; as crianças entre um e cinco anos se comportavam cada vez pior; os pais mostravam cada vez menos disposição para controlar seus filhos e, por fim, as reclamações dos outros clientes – que muitas vezes haviam tido o cuidado de deixar os próprios filhos em casa com uma babá para ter um jantar mais tranquilo – só cresciam.

“Quando uma criança ficava fora de controle, eu pedia, educadamente, para os pais saírem do salão por alguns momentos até que ela se acalmasse”, explica Vuick. “Mas era recebido com olhares de estranhamento”. De acordo com Ana Gabriela Andriani, psicoterapeuta de casal e família, cabe aos pais conterem seus filhos – embora a tarefa seja mais difícil quando a criança não tem limites. “Muitos pais têm essa dificuldade por acharem que impor limite é sinônimo de desamor, mas não é. A criança precisa de regras”, diz Andriani.

Mas nem sempre a criança malcomportada no restaurante é uma criança sem controle. “A percepção de tempo da criança é diferente da percepção do adulto. Nós temos uma demarcação cronológica do tempo, enquanto para a criança o tempo é o do infinito”, afirma a especialista. Por isso, é difícil que ela chegue ao restaurante, sente, se alimente, converse com os que estão à mesa e vá para casa tranquilamente. O mais comum é a criança viver aquele momento como se nunca mais fosse acabar. E se o momento é muito chato, ela vai querer fazer qualquer coisa para escapar.

Cabe aos pais – e não exatamente ao restaurante – prestar atenção e tomar a iniciativa para resolver o problema. Afinal, crianças são crianças e é bem difícil deixá-las quietinhas em um lugar e pedir que se portem como adultos em miniatura.

Em um restaurante, portanto, o interminável subir e descer da cadeira pode ser só o começo da bagunça. É o caso de Sarah, de três anos. Segundo a mãe, a autônoma Ercy Borba, de 49 anos, a família só pode ir ao restaurante se montar um revezamento: enquanto um come, o outro cuida da menina. “Ela é um tsunami, não consegue ficar na mesa pra comer. Ela quer andar, ir à mesa dos outros para conversar, atrapalha as outras crianças que estão comendo, sobe e desce da cadeira milhões de vezes”, conta. Ao levar bronca da mãe por não se comportar adequadamente, no entanto, abre o berreiro e faz escândalo.

“Ela tem um comportamento irregular e não é por falta de represália”, diz Ercy. Ao contrário de Gabriel, o filho mais velho de Ercy, que sempre se portou como “um lorde inglês”, na definição da mãe. A família deixou de ir a restaurantes por causa do mau comportamento de Sarah. E as áreas de recreação oferecidas por muitos estabelecimentos não adiantam: aos três anos, ela ainda não tem idade para brincar nessas áreas sem a supervisão de um adulto.

Entretenimento e respeito aos limites

De acordo com Luciana Blumenthal, psicoterapeuta da Elipse Clínica Multidisciplinar, os pais devem ser os primeiros a se preocupar com o entretenimento dos filhos. Oferecer atenção e alguns passatempos é a melhor forma de garantir um jantar tranquilo em troca. “Se você sabe que o local é inadequado para a criança passar muito tempo sem ficar impaciente, levar brinquedos diferentes para ela brincar depois de comer é uma boa alternativa”, afirma a especialista. Conversar com ela sobre assuntos que a interessam também é uma tática eficaz. “É preciso achar alguma coisa para entretê-las”.

Uma saída eventual da rotina pode fazer bem, mas respeitar os horários e limites da criança é essencial. Se ela tem o costume de dormir às oito horas da noite, não chegue ao restaurante às nove. Em pouquíssimo tempo ela ficará irritada e passará a atormentar. E é sempre melhor prevenir do que remediar: segundo Luciana, se os pais resolverem ir embora do local por causa da birra, a criança ficará satisfeita e tentará conseguir tudo desta forma, já que funciona.

Do restaurante para dentro de casa

Monica Dorin Schumer é psicóloga e terapeuta familiar especialista em desenvolvimento infantil e conexões entre pais e filhos, no Rio de Janeiro. Para ela, crianças precisam de limites – mas os pais devem conhecê-los. Todo mundo tem variações de humor, até mesmo as crianças. Os pais devem saber se podem arriscar levar seus filhos a um lugar mais intimista ou se a personalidade da criança seria um desastre combinada com o ambiente.

“Não tem como segurar as crianças o tempo todo, elas têm um lado imprevisível também”, concorda Ana Gabriela. Se uma criança de três anos cai e se machuca, ela vai chorar e fazer barulho – e os pais devem contar com esse tipo de situação, afinal, imprevistos acontecem.

Fora os acidentes, o hábito de se sentar para comer começa em casa. “É importante que dentro de casa a criança aprenda a comer na mesa, de garfo e faca, acompanhando o ritual”, diz. Como qualquer comportamento, a aprendizagem deste também não acontece de um dia para o outro. O ideal é ir estendendo o tempo à mesa aos poucos, além de mostrar algumas maneiras legais de se divertir, como fazendo desenhos no papel ou criando histórias com a comida. “Assim os pais podem transformar o momento em algo lúdico e ajudar a criança a ficar ali e querer comer”, diz.

O tempo ideal para o seu filho? “Quanto mais novinha a criança for, mais impaciente ela é. A partir dos cinco anos ela começa a entrar na mesma perspectiva de tempo dos adultos e passa a lidar melhor com isso”, completa. Mais ou menos à mesma época em que ela poderia voltar a comer no restaurante de Mike Vuick.

Ercy com os filhos Sarah e Gabriel: a família evita ir a restaurantes por causa do comportamento da caçula
Dança das cadeiras

domingo, 21 de agosto de 2011

Livro O Gato Gildo

Fonte: Livraria Saraiva
 É um livro muito legal pois as patinhas dele se mexem de acordo com a interação da criança. O livro conta em versos as peripécias de um gato bem preguiçoso, mas que está com os ouvidos e um olhinho bem atentos ao que acontece ao seu redor. Livro indicado para crianças até 3 anos e é um livro não muito caro e diverte a criança de um modo bem legal. O do Daniel já tá bem velhinho, mas ele adora desde a primeira vez que vimos no shopping ele como eu nos apaixonamos pelo livrinho. Esse livro é da Coleção Agito e Aceno que além do O Gato Gildo tem também a Galinha Pita, A Ursa Ursulina e O Pinguim Pingo.


Livro: O Gato Gildo
Editora: BrasilLeitura
Autor(a): Cath Jones

sábado, 20 de agosto de 2011

Prevenindo o desaparecimento de crianças


ORIENTAÇÕES AOS PAIS
  • Orientar os filhos a não aceitarem doces, presentes, ou qualquer outro objeto de estranhos, podendo aceitá-los de conhecidos e parentes, somente com prévio consentimento dos responsáveis.
  • Manter bom relacionamento com a vizinhança.
  • Procurar conhecer as pessoas que convivem com seu filho.
  • Participar ativamente dos eventos envolvendo o seu filho, como aqueles ocorridos em escolas e aniversários.
  • Ensinar ao seu filho o seu nome completo, endereço e telefone e os nomes dos pais e irmãos.
  • Não autorizar o seu filho a brincar na rua sem a supervisão de um adulto conhecido.
  • Evite deixar o seu filho em casa sozinho.
  • Providenciar a carteira de identidade do seu filho, através do Instituto de Identificação.
  • Faça com que as pessoas, que necessitam de atenção especial, que vivem sob sua responsabilidade tenham sempre consigo (no bolso ou gravado em uma medalha) seus dados de identificação.
  • Observe o comportamento do seu filho, ficando atento às possíveis mudanças.
  • Conheça o tipo sangüíneo e o fator RH da criança.
  • Seja amigo do seu filho, deixando-o à vontade para confidenciar-lhe os seus problemas ou vitórias.
ORIENTAÇÕES ÀS ESCOLAS
  • Não permita a saída de criança com pessoa não autorizada pelos responsáveis.
  • Observar o ambiente nas proximidades da escola, comunicando qualquer fato suspeito, imediatamente, à Polícia.
ORIENTAÇÕES AOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE
  • Observar, durante o atendimento, o comportamento dos responsáveis pelas crianças e, caso percebam alguma coisa estranha e dificuldades deles em prestar informações sobre o próprio filho, comunicar a suspeita à Polícia.
     
ORIENTAÇÕES ÀS INSTITUIÇÕES (ABRIGOS, HOSPITAIS)
  • Registrar os dados do menor ou adulto quando eles derem entrada na instituição. Quando tratar-se de pessos sem identificação ou que, por algum motivo, pareça ser uma pessoa desaparecida entre em contato com a Polícia Civil.
DICAS DE SEGURANÇA  
Para os Pais
  • Nos passeios manter-se atento e não descuidar das crianças;
  • Procurar conversar todos os dias com os filhos, observar a roupa que vestem e se apresentam comportamento diferente;
  • Fique atento à mudança de comportamento de seu filho, pois isto pode indicar que o mesmo poderá fugir de casa;
  • Uma boa conversa com seu filho, pode livrar você de momentos de angústia e desespero;
  • Procurar conhecer todos os amigos do seu filho, onde moram e com quem moram;
  • Acompanhá-los a escola, na ida e na volta, e avisar o responsável da escola quem irá retirar a criança;
  • Colocar na criança bilhetes ou cartões de identificação com nome da criança e dos pais, endereço e telefone, orientar a criança quanto ao uso do cartão telefônico, bem como fazer chamadas a cobrar para pelo menos três números de parentes, e avisá-los desta orientação;
  • Não deixar as crianças com pessoas desconhecidas, nem que seja por um breve período de tempo, pois muitos casos de desaparecimento ocorrem nestas circunstâncias;
  • Fazer o mais cedo o possível a carteira de identidade no Instituto de Identificação do seu Estado;
  • Manter em local seguro, trancado e distante do alcance das crianças arma de fogo, facas, qualquer objeto ou produto que possa colocar a vida delas ou outras pessoas em risco;
  • Orientar as crianças a não se afastar dos pais e fiscalizá-las constantemente;
  • Ensiná-las a sempre que estiverem em dificuldade a procurar uma viatura policial, ou um policial fardado (PM ou Guarda Municipal), e pedir ajuda;
  • Evitar lugares com aglomeração de pessoas;
  • Perdendo a criança de vista, pedir imediatamente ajuda a populares para auxiliar nas buscas e avisar a polícia.
Meu filho desapareceu, o que devo fazer?
  • Em primeiro lugar, manter a calma;
  • Caso esteja sozinho, peça auxilio para que acionem imediatamente a polícia. Não existe prazo para comunicar o desaparecimento, faça-o imediatamente;
  • Manter alguém no local onde a criança foi vista pela última vez, pois ela poderá retornar ao local;
  • Deixar alguém no telefone indicado no cartão de identificação da criança, até para centralizar informações;
  • Avisar amigos e parentes, o mais rápido possível, principalmente os de endereço conhecido da criança, para onde ela possa se dirigir;
  • Percorrer os locais de preferência da criança;
  • Ter sempre a mão foto da criança;
  • Ter sempre em mente a vestimenta da criança para descrevê-la, procurando vesti-la com roupas detalhadas, de fácil visualização e identificação (cores berrantes, desenhos, etc…);
  • Procurar a Delegacia e Conselho Tutelar e pedir auxílio.
 Motivos mais comuns de desaparecimentos
  • Repressão excessiva, excesso de controle;
  • Castigos excessivos e exagerados, desproporcionais ao fato. Ex: a criança comete uma pequena falta e leva uma surra;
  • Desleixo dos pais, a criança sente-se rejeitada e desprezada e foge para chamar a atenção;
  • Muitas das fugas do lar têm por motivos o mau desempenho escolar, as responsabilidades domésticas que são atribuídas a elas e até mesmo pequenos ofícios, como venda de doces e salgados;
  • O espírito aventureiro também é um dos grandes responsáveis pela fuga de crianças.
  • Subtração de incapaz (A criança é raptada para viver em outro lar)
  • Rapto consensual
  • Rapto por estranhos
 CRIANÇAS E PESSOAS DESAPARECIDAS – COMO AJUDAR!
  • Observar o comportamento de novos vizinhos em relação ao tratamento dispensado ao menores que com eles convivem, comunicando à Polícia qualquer fato suspeito.
  • Observar, em via pública, o trânsito de menores desacompanhados, idosos e portadores de necessidades especiais, caso apresentem desorientação, possibilidade de extravio ou mesmo dificuldade de expressão, comunique o fato à Polícia para queprestem a devida assistência antes que ocorra o seu paradeiro. O ideal é que você possa levar a pessoa até o posto policial mais próximo.
  • Comunicar e registrar o desaparecimento do menor ou do adulto imediatamente após constatada a sua ausência, na Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida. Deve-se apresentar fotografia e documentação do ausente, caso existente, para início da busca. Para o menor, é necessária a apresentação da cópia da certidão de nascimento. No entanto, a ausência do documento não impede o registro e a busca.
  • Caso ocorra o retorno voluntário do desaparecido ao lar, contatar a Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, comunicando o fato.
SITES OFICIAIS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DESAPARECIDOS
Ministério da Justiça: http://www.desaparecidos.mj.gov.br
Crianças desaparecidas – RJ:  http://www.fia.rj.gov.br/SOS.htm
O número nacional para informações sobre crianças desaparecidas é o Disque 100.  

FONTE: SICRIDE E POLÍCIA DE MG, COM ADAPTAÇÕES DO BLOG DIGA NÃO À EROTIZAÇÃO INFANTIL
Achei a matéria bem interessante e muito importante. Tenho uma prima, a Nathália, que agora tem doze anos e quando tinha seis minha prima, a mãe dela, ensinou a ela o endereço e o telefone de casa e a Nathália dizia direitinho na época achei besteira, mas hoje que tenho o meu Daniel acho super importante. Como o Daniel ainda não fala muito acho que devo prestar mais atenção a esses detalhes. Uma boa opção no meu caso é arrumar uns crachás ou pulseiras de identificação colocando o nome da criança, o nome dos pais, telefone dos avós, celular dos pais e endereço da criança.

No Blog Dicas de Mãe tem umas pulseiras que você pode gravar seus dados atrás e a criança usa como uma pulseira comum. Clique aqui para saber mais.



Fonte: Blog Dicas de Mãe.


Já no Blog Cantinho de Mãe tem uma outra opção de pulseira de identificação para crianças de material emborrachado e que não se desmancha na água que é de uma empresa chamada Names2Glue que também é bem interessante e fica em São Paulo, Brasil.

Fonte: Blog Cantinho de Mãe

Escrito por: Danielle Cardão.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Você consegue



Por Nathalya Buracoff
Fonte: Getty Images
Toda sala de aula sempre tem aquele garotinho tímido, com dificuldades nos esportes e poucos amigos. Essa é uma situação comum, principalmente no início da vida escolar, onde aqueles pequenos obstáculos parecem o maior problema do mundo. Em casos assim, será que é possível contornar a situação e incentivar crianças, sem forçar um desenvolvimento precoce?

Exemplo vem de casa

De acordo com a psicóloga Rosane Schiller, do Colégio Santo Américo, em São Paulo, no início do desenvolvimento da personalidade, as crianças se enxergam através dos olhos dos pais. Por essa razão, a melhor maneira de educação é o bom e velho exemplo. "Se o olhar dos pais é frustrado, desapontado, os filhos criam esta auto-imagem. Por isso, mesmo em momentos difíceis, o olhar do adulto deve passar confiança e incentivo, para que os filhos não se sintam desapontados".

No caso de crianças consideradas preguiçosas, é interessante que os pais participem de pequenos rituais, como escovar os dentes ou arrumar o quarto. Em vez de um clima de cobrança, é necessário incentivar . Convidar o filho para escovar os dentes junto com o pai, por exemplo, estreita os laços afetivos e começa a desenvolver certa autonomia, fazendo com que ele perceba que já consegue fazer pequenas tarefas sozinho.

Liberdade de escolha

Fonte: Getty Images
Nada de filhinho da mamãe. A autonomia pode ser trabalhada através da supervisão de atividades, desde que haja espaço para as escolhas particulares. Lembrando que após atingido um certo grau de independência fora de casa - como comer sozinha e tomar banho - crianças não devem ser tratadas como bebês ."Crianças aprendem muito rápido. Os pais não devem ter medo de acreditar nelas. Temos que soltá-las, para estar ao seu lado como um símbolo de segurança, pois esta é a posição que ocuparemos durante o resto de suas vidas ", diz Rosanne

Brincando e aprendendo

O ambiente escolar é um dos mais competitivos. É nessa fase em que as crianças começam a se comparar com os demais colegas. Foi o que aconteceu com Julia Pacheco, de 6 anos. Prestes a cursar a primeira série, a garotinha tem enfrentado alguns problemas de alfabetização (normais da idade), enquanto alguns colegas já se encontram mais avançados nessa fase.

Questionada pela filha sobre sua capacidade, a mãe Eliane costuma optar pelo apoio incondicional. "Na hora de fazer a lição de casa, sempre a incentivamos, dizendo que ela é muito inteligente, esperta e que acreditamos muito no potencial dela. Mas, às vezes, ela se mostra insegura, por ainda não saber identificar as palavras, ou escrever o seu nome".

Fonte: Getty Images

Para a psicoterapeuta Ana Cristina Caldeira, nessas situações, é fundamental se interessar pelo universo infantil, para entender as suas necessidades. "É importante reforçar o que a criança está aprendendo na escola. Perguntar a cada dia o que ela aprendeu de novo, no que sente dificuldade. Se ela está sendo alfabetizada, é interessante que os pais criem um ambiente favorável à leitura".

Ana explica que para superar dificuldades, é necessário criar uma rotina favorável. No caso da problemas com a leitura, por exemplo, deve-se investir em jogos pedagógicos e passeios literários. Para os que não possuem habilidades esportivas, comprar uma bola, incentivar aulas de futebol ou vôlei. Tudo que associe o aprendizado ao lúdico.

Pequeno espelho

Muitos pais sentem medo de sobrecarregar seus filhos com atividades fora da escola. Mas a verdade é que quanto mais a criança experimenta habilidades diferentes, mais ela sabe do que gosta. Diversas práticas podem ajudar o desenvolvimento, envolvendo o mundo dos esportes, da música, da dança, ou das línguas. Lembrando que é sempre importante achar um meio-termo, para não tornar o divertido em obrigação maçante.

Este sentimento de obrigação pode ocorrer pela necessidade de compensação de alguns pais - que enxergam a si mesmos nos filhos e querem proporcionar tudo o que não tiveram na infância, como explica Ana. "A insegurança e a vaidade fazem com que você queria que o seu filho seja o melhor em tudo. Mas a serviço de quem estão esses méritos? De você ou da criança? De quem é a vontade? É necessários que os pais promovam essa separação".






Estimule-o!

• Encoraje seu filho a praticar novas atividades, assim ele começa a conhecer melhor as próprias capacidades.

• Quando for repreendê-lo, procure não deixar um clima de cobrança e sim de incentivo.

• Tenha um ambiente caseiro organizado. A criança precisa ter uma rotina com horários estabelecida para aprender a lidar com prazos e se adaptar às cobranças.

• Converse com a direção da escola e com a professora. Elas podem informar sobre o comportamento do seu filho longe dos seus olhos.

• Convide-o a participar de algumas tarefas simples dentro de casa. Isso ajuda a desenvolver novas habilidades.

• Estimule a leitura por meio de brincadeiras e, sempre que possível, coloque seu filho em contato com outras crianças.

• Lembre-se que seu filho não é você! Ele tem suas próprias vontades e é preciso respeitá-las.



Colaboraram:

Rosane Schiller
Ana Cristina Caldeira


Fonte: Guia da Semana


A infância é sempre cheia de inseguranças. Nessa hora, como os pais devem incentivar a auto-confiança dos filhos?

9º Festival Internacional de Cinema Infantil - FICI



Até 28 de agosto, acontece o 9º Festival Internacional de Cinema Infantil - FICI nas salas de cinema da rede Cinemark, no Rio de Janeiro e em Niterói. Participam ainda deste evento as cidades de Brasília (26/8 a 4/9), São Paulo e Campinas (2 a 11/9), Salvador e Aracaju (30/9 a 9/10), Recife (12 a 23/10) e Belo Horizonte (21 a 30/10).

O festival reúne inéditos, clássicos, curtas-metragens brasileiros e internacionais, séries de TV, mostras especiais, além de oficinas de cinema de animação e debates.

O público terá a oportunidade de ver filmes como O Menino que Queria ser Viking (Holanda, 2006), O Diário do Panda (Japão, 2008), Oceanos (foto - França, Suíca e Alemanha, 2009) e Soul Boy - À Procura da Alma (Quênia e Alemanha, 2010).

Confira a programação completa dos filmes em cartaz, nas salas de cinema Cinemark, no site www.festivaldecinemainfantil.com.br.

Foto: Divulgação

Fonte: Guia da Semana

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

XV Bienal do Livro no Rio de Janeiro

Estou contando os dias para ver se consigo levar meu filho e meu marido para a feira do livro no Riocentro. Eu já fui uma vez quando estava na faculdade e uma vez com meu marido e foi muito interessante, tem muitos e muitos livros, rsrsrs, muitas promoções, muitas atividades e muita gente. Numa das vezes que fui comprei dois livros da Jane Austen um foi Orgulho e Preconceito, mas o outro não lembro mais o nome com um preço ótimo porque era no stand da própria editora. Então coloque sua roupa mais confortável, tênis porque serão três pavilhões verde, azul e laranja um aviso para mamães e papais de plantão levem carrinho, água, mamadeiras, fraldas, mudas de roupa e etc e se possível muita mais muita paciência. Quanto a praça de alimentação eu não sei informar já que nem no site diz se tem muitas opções e se tem alguma com um cardápio bom para crianças. Se algum tiver alguma informação ou dúvida  deixe seu comentário ou escreva para descobertascomdaniel@gmail.com.

Informações sobre a Bienal:

A Biblioteca Mirim é um espaço onde o lúdico toma forma, despertando a curiosidade e a paixão pela literatura por meio de duas atividades simultâneas e independentes: a contação de histórias e a biblioteca, com títulos direcionados ao público infanto-juvenil.

Contação de Histórias dias e horários:



Vou tentar ir e se eu for eu conto aqui depois tudo o que aconteceu lá sendo próximo ao meu aniversário quem sabe, né?

A entrada custa R$ 12,00 e a meia é R$ 6,00 e será no Riocentro na Avenida Salvador Allende, 6555 - Barra da Tijuca.

Dias e HorÁrios:
Dia 01 - das 12h às 22h
Dia 02 - das 09h às 22h
Dia 03 - das 10h às 22h
Dia 04 - das 10h às 22h
Dia 05 - das 09h às 22h
Dia 06 - das 09h às 22h
Dia 07 - das 10h às 22h
Dia 08 - das 09h às 22h
Dia 09 - das 09h às 22h
Dia 10 - das 10h às 22h
Dia 11 - das 10h às 22h


Serviços:
  • Táxi
  • Telefones públicos
  • Ponto de Encontro
  • Áreas de Descanso
  • Guarda-volumes
  • Fraldário
  • Posto médico
  • Praça de Alimentação
  • Balcão de Informações

Tem uma opção no site que mostra as atividades infantis de cada dia, então clique no dia que você pretende ir e veja as opções de atividades para sua criança, para ver clique aqui.


Escrito por: Danielle Cardão.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...